>Harry Potter e a Pedra Filosofal

>

Rowling, J. K. Tradução de Lia Wyler. Rio de Janeiro: Rocco, 2000

Esta é primeira aventura do garoto inglês Harry Potter, que daria início a uma saga literária e a uma série de filmes cujo sucesso de público, tanto dos leitores como dos fãs de cinema, surpreendeu o mundo e tornou Joanna Kathleen Rowling uma das mulheres mais ricas do mundo.

Em Harry Potter e a Pedra Filosofal, temos a introdução da história do menino que descobre ser descendente de uma linhagem de feiticeiros, e não uma pessoa comum como imaginava; os comuns, muggles no original, e chamados trouxas em português, não apenas não possuem poderes mágicos mas, na maioria, não acreditam em magia ou feitiços. Apesar disso, o mundo desses portadores de poderes existe paralelamente ao nosso, com os magos e feiticeiros disfarçando os vestígios de sua existência, enquanto nós, pobres muggles, vivemos na ignorância desse mundo que, sem dúvida, é maravilhoso; mas esconde também poderes sinistros e perigos incontestáveis.

Vemos como Harry, aos 11 anos, descobre sua verdadeira origem; conhece a verdade sobre a morte de seus pais; inicia sua vida escolar na escola de Hogwarts; e, com a ajuda dos amigos Ronald Weasley e Hermione Granger, sob os auspícios do mago Dumbledore e entre as ameaças do maligno, embora desaparecido, Voldemort, aquele-que-não-deve-ser-nomeado, investiga o mistério da Pedra Filosofal.

Trecho: Harry acordou cedo na manhã seguinte. Embora soubesse que já era dia, continuou com os olhos bem fechados. “Foi um sonho”, disse a si mesmo com firmeza. “Sonhei que um gigante chamado Rúbeo Hagrid veio me dizer que eu ia para uma escola de magia. Quando abrir os olhos estarei em casa no meu armário.”
De repente ouviu um ruído alto de batidas.
“É a tia Petúnia batendo na porta!” pensou Harry, desanimando. Mas, ainda assim, não abriu os olhos.Tinha sido um sonho tão bom.
Bum. Bum. Bum.

– Está bem – resmungou Harry. – Já estou levantando.
Sentou-se e o pesado casaco de Hagrid escorregou de seu corpo. O casebre estava inundado de sol, a tempestade passara, o próprio Hagrid estava dormindo no sofá desmontado e havia uma coruja batendo com a garra na janela, trazendo um jornal no bico.

Resenha de Rosana “Shelob”, que é membro da Toca SP do CB desde 2001.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *